19/07/2019

Filipe Anacoreta Correia considera que a saída de Paulo Portas da liderança do CDS “é uma surpresa esperada e uma oportunidade”

Publicado a: 02. Jan, 2016 em Noticias e Recortes

Filipe Anacoreta Correia considera que a saída de Paulo Portas da liderança do CDS “é uma surpresa esperada e uma oportunidade”

À agência Lusa, na última terça-feira, o membro do conselho nacional do CDS já tinha considerado a saída de Paulo Portas da liderança do partido um sinal de “maturidade política”.

Lusa  30/12/15
Na perspetiva do membro do conselho nacional do partido, espera-se renovação por parte de instituições com responsabilidades democráticas. E como “Paulo Portas é o líder partidário com maior longevidade” atualmente, é “normal” que haja renovação.

A opinião surge numa entrevista ao i sobre o atual momento do CDS, em que Anacoreta Correia realça que a possibilidade de haver mais do que uma candidatura à liderança do partido “revela que há uma grande expectativa de que este processo é livre e inaugurador”.

“Uma das coisas que me dá gosto, enquanto militante do CDS, é a ideia de que o CDS apresenta um leque de pessoas com condições” que o levam a defender que “são melhores, ou tão bons, como quaisquer outros líderes de outros partidos”, afirma.

Pela sua parte, diz também “querer ter uma intervenção ativa e dinâmica neste processo”, embora diga que “ainda estamos no ano velho a acabar de receber uma notícia que temos que amadurecer”.

2016 é, portanto, um ano que vê com boas perspectivas para o debate interno que o CDS terá, para a sucessão de Paulo Portas, que anunciou recentemente que não se irá recandidatar à liderança do partido.

Veja aqui Vídeo RTP

Tags:

  • Delicious
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • RSS Feed

Deixe o seu comentário

Por favor preencha os campos necessários. O seu e-mail não será publicado. Comentários ofensivos não serão publicados.