23/10/2019

Sete anos depois, Portas tem adversários

Publicado a: 12. Jan, 2014 em Noticias e Recortes, Notícias

Sete anos depois, Portas tem adversários

Pela primeira vez desde que voltou à chefia do CDS, em 2007, Paulo Portas enfrenta hoje candidaturas adversárias num congresso. Filipe Anacoreta Correia, rosto do movimento crítico Alternativa e Responsabilidade (AR), confirmou aos primeiros minutos da madrugada que é candidato à liderança do partido, na votação que decorre durante esta manhã. E Luís Nobre Guedes disputa o Conselho Nacional com Telmo Correia, o nome escolhido por Portas.

O avanço de Anacoreta Correia foi decidido depois dos críticos se terem predisposto a retirar da sua moção de estratégia a oposição a uma coligação com o PSD nas europeias e a exigência de um novo congresso em 2015 para definir a estratégia para as legislativas – dois pontos considerados problemáticos pelos portistas. Isso não chegou para que Portas aceitasse o repto do Alternativa e Responsabilidade, que queria ver a sua moção integrada no texto do presidente do partido.

Sem sinais de abertura de Portas, Anacoreta anunciou que cumpria o que havia prometido, candidatando-se a líder. Embora sem grandes expetativas. Em declarações aos jornalistas fez saber que já consideraria um bom resultado ter mais de dez votos.

Aparentemente, nem o resultado esmagador da votação das moções, durante a madrugada, o desencorajou. Portas recolheu 82% dos votos, e a Alternativa e Responsabilidade 16,6%. Um resultado “muito expressivo”, considerou Anacoreta Correia, mostrando-se satisfeito.

Guedes contra Telmo no Conselho Nacional

Também eleição para a presidência do Conselho Nacional (CN) vai haver disputa, pela primeira vez em sete anos. Luís Nobre Guedes tinha-se disponibilizado para concorrer ao cargo, caso se confirmasse a saída de António Pires de Lima. Assim foi: Portas aceitou o pedido do amigo para deixar esse cargo, e convidou-o para ser o primeiro nome na lista de candidatos a conselheiros. E propôs a Nobre Guedes que seguisse o exemplo de “humildade democrática” de Pires de Lima, aceitando um lugar de mero conselheiro.

Para a presidência do CN, que é o principal órgão do partido entre congressos, Portas convidou o deputado Telmo Correia, que em 2005 foi candidato à chefia do partido (derrotado por Ribeiro e Castro). A opção por Telmo, em vez de Guedes, foi explicada por Portas com o argumento de que “é necessária identidade no essencial entre o presidente do partido e o presidente do CN”. O que não acontece em relação a Guedes.

Fonte
Expresso

Foto: Isabel Santiago Henrques

Tags: ,

  • Delicious
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • RSS Feed